COMUNICADO

Suspensão do concurso para as obras de extensão do paredão do Porto de Leixões

 

No dia 25 de março, reuniu a Assembleia Municipal de Matosinhos para discutir, e tomar posição sobre as anunciadas obras no Porto de Leixões.

Todas as forças políticas representadas na Assembleia Municipal concordaram que há riscos muito elevados para a qualidade de vida dos matosinhenses e para o futuro de Matosinhos.

Todos concordaram também, e portanto, que a APDL terá de fazer mais estudos, independentes e mais profundos sobre as obras que pretende concretizar.

Todos concordaram ainda, que a APDL não pode continuar a esconder intenções e projetos.

Na verdade, o estudo de impacto ambiental levanta dúvidas, muitas dúvidas, e dá poucas ou nenhumas certezas.

A saber:

▪ Qual será o impacto real e efetivo do prolongamento do quebra-mar na praia de Matosinhos?

▪ E nas praias a sul de Matosinhos, nomeadamente nas praias dos concelhos do Porto e de Vila Nova de Gaia?

▪ Qual será o impacto real e efetivo na pesca?

▪ Qual será o impacto real e efetivo na economia da zona de Matosinhos, nomeadamente no surf e na restauração?

▪ Qual será o impacto real e efetivo nas marés?

▪ Qual será o impacto real e efetivo na qualidade da água na praia de Matosinhos?

▪ Qual será o impacto real e efetivo no valor dos imóveis em Matosinhos, nomeadamente na zona de Matosinhos Sul?

Até aqui, todos de acordo.

Inexplicavelmente, ou talvez não, não houve acordo quanto a uma questão muito simples: a exigência da suspensão do concurso, já lançado, para a empreitada de prolongamento do quebra-mar exterior e para as acessibilidades marítimas do Porto de Leixões.

O PS e o PCP, pasme-se, votaram contra a proposta d o PSD, do BE, do grupo independente Narciso Miranda e do grupo independente António Parada que propunha que o Município de Matosinhos defendesse a suspensão do concurso até à realização e divulgação dos estudos e projetos que todos, sem exceção, consideraram imprescindíveis para que se possa tomar uma posição sobre tais obras.

O PS e o PCP dizem estar preocupados, mas querem que o concurso avance (!), mesmo sem saber se os matosinhenses e Matosinhos terão de pagar um preço demasiado elevado pelas obras do Porto de Leixões.

Querem parecer que estão preocupados com as consequências, que podem ser elevadíssimas, das obras. Mas não estão dispostos a levantar a voz para defender Matosinhos e os matosinhenses.

Num dos raros momentos em que todos os elementos da Assembleia Municipal estão de acordo, apenas os partidos que governam a Câmara Municipal se opõem a uma maioria que pugna pela defesa de Matosinhos e dos matosinhenses.

A posição do PS e do PCP é hipócrita e cobarde. Levantar a voz contra a APDL na defesa dos interesses de Matosinhos e dos matosinhenses, não, não podemos contar com eles.

Para o PS e para o PCP outros interesses, que não os de Matosinhos e dos matosinhenses, se levantam mais alto.

O PSD reafirma que continuará a lutar por todos os meios ao seu alcance pela defesa da qualidade de vida dos matosinhenses e pelo futuro de Matosinhos.

O Porto de Leixões é muito importante. Mas, para o PSD, as pessoas e o concelho de Matosinhos são ainda mais importantes.

 

Pelo PSD de Matosinhos,

Bruno M. Pereira
[938138706]
Presidente do PSD Matosinhos

 

0 Comments

Leave a reply

©2020 PSD Matosinhos

Política de Privacidade - Avisos Legais

Web Designer - Mario Rocha

CONTACTE-NOS

Envie um pedido de contacto, e será respondido logo que possivel. Obrigado

Sending

Log in with your credentials

Forgot your details?