PSD questiona Governo sobre “abandono de mediação de conflitos” na Petrogal

O grupo parlamentar do PSD quer saber o motivo pelo qual o Governo “abandonou a mediação de conflitos” entre a administração da Petrogal, da Galp Energia, e os trabalhadores, que terminaram este sábado uma greve de cinco dias e meio.

Lusa
6 de junho de 2018 às 16:14

Em declarações à Lusa, a deputada do PSD Carla Barros afirmou este sábado, 16 de Junho, que “no início da próxima semana o grupo parlamentar entregará na Assembleia da República uma questão dirigida ao ministro do Trabalho”, Vieira da Silva, para perceber os motivos que o levaram a abandonar a mediação das negociações que decorriam entre a empresa e a Comissão Sindical.

“Vamos também solicitar uma reunião à administração da empresa, [para] perceber efectivamente o que se passa”, disse Carla Barros, que esteve reunida com trabalhadores da refinaria de Matosinhos, distrito do Porto, no final da tarde de sexta-feira, juntamente com os deputados Virgílio Macedo e Germano Rocha.

A social-democrata sublinhou que o PSD “defende um diálogo saudável”.

Os trabalhadores da Petrogal iniciaram às 00:00 de segunda-feira uma greve de cinco dias e meio em defesa dos seus direitos laborais e regalias sociais e pela negociação colectiva.

A greve, que terminou este sábado, às 14:00, foi convocada pelo Sindicato da Indústria e Comércio Petrolífero (SICOP) e pela Federação Intersindical das Indústrias Metalúrgicas, Químicas, Eléctricas, Farmacêutica, Celulose, Papel, Gráfica, Imprensa, Energia e Minas (FIEQUIMETAL).

Os trabalhadores protestaram pelos seus direitos laborais, pelos regimes de saúde e de reformas e outras regalias sociais. Em causa está também o regresso às negociações tripartidas, entre a empresa e a Comissão Sindical, sob a mediação do Ministério do Trabalho.

Os sindicatos que convocaram a paralisação alegaram que a administração da empresa não respeita a negociação, nem as recomendações do Ministério.

“Sabemos que efectivamente não tem havido entendimento”, disse Carla barros, acrescentando que interessa perceber o porquê de Vieira da Silva ter abandonado o processo.

Os trabalhadores da Petrogal, sublinhou, já se manifestaram junto ao Ministério do Trabalho.

Jornal de Negócios

0 Comments

Leave a reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

*

CONTACTE-NOS

Envie um pedido de contacto, e será respondido logo que possivel. Obrigado

Sending

©2018 PSD Matosinhos

Política de Privacidade - Avisos Legais

Web Designer - Mario Rocha

Log in with your credentials

Forgot your details?