COMUNICADO

O Partido Socialista defende sozinho a obra do prolongamento do quebra-mar do Porto de Leixões.

 

Na passada sexta-feira, dia 5 de Julho de 2019, foram votadas na Assembleia da República duas recomendações, solicitando ao Governo de Portugal (Ministério do Mar) e à Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo, S. A. (APDL), que procedesse à suspensão do Concurso para o Prolongamento do Quebra-Mar Exterior e Acessibilidades Marítimas do Porto de Leixões, atendendo à escassez de informação relativamente ao Novo Terminal de Contentores, e respetivo Estudo de Impacto Ambiental, bem como ao destino do Porto de Pesca.

Ambas as propostas obtiveram os votos favoráveis da bancada parlamentar do PSD, do BE, do PAN e do CDS-PP, sendo que o PCP se absteve nas votações e o PS votou contra as recomendações.

Documento de igual teor foi votado a nível local em Matosinhos, tendo na altura tido os votos contra do PS e do PCP, por isso é de salutar a mudança de sentido de voto do PCP na Assembleia da República, em contraponto com a posição assumida pelos autarcas comunistas em Matosinhos.

O PSD lamenta ainda a posição de complacência e submissão que a Câmara Municipal de Matosinhos e o PCP de Matosinhos tem assumido sobre esta questão, lembrando que a senhora Presidente da Câmara esteve, bem sorridente, ao lado da Ministra do Mar no lançamento do concurso, sendo que hoje as restantes forças políticas demonstram que estão ao lado das pessoas do concelho de Matosinhos e da Área Metropolitana do Porto.

Mais a incompetência da atual Ministra do Mar não tem limites, a mesma sobre o assunto afirmou desconhecer o impacto que a estrutura terá na costa portuguesa. Mais que o projeto arrancou em surdina no tempo em que João Pedro Matos Fernandes, atual ministro do ambiente era administrador da APDL, pelo que se verifica a hipocrisia política do ministro do ambiente o qual deu início ao projeto que irá levar à destruição da orla costeira.

A APDL e o Governo Português não podem, por isso, sentir-se desobrigados de repensar e reavaliar o projeto no que toca ao prolongamento do quebra-mar exterior do Porto de Leixões, pois o mesmo acarreta alterações futuras prejudiciais para os habitantes de Matosinhos e do Porto, pelo que devem ainda apresentar de forma clara e concisa os planos para minimizar os futuros impactos ambientais e económicos.

O PSD de Matosinhos reconhece a importância económica, política e social, que o Porto de Leixões representa para Matosinhos, para a Área Metropolitana do Porto e para o País, contudo o progresso económico não pode ser efetuado a todo custo, em detrimento do ambiente e de uma hipoteca social, cultural e ambiental para as gerações presentes e vindouras.
Mas na verdade, o estudo de impacto ambiental levanta dúvidas, muitas dúvidas, e dá poucas ou nenhumas certezas.

Qual vai ser o impacto real e efetivo do prolongamento do quebra-mar na praia de Matosinhos?

– E nas praias a sul de Matosinhos, nomeadamente nos concelhos do Porto e de Vila Nova de Gaia?

– Qual será o impacto real e efetivo na pesca?

– Qual será o impacto real e efetivo na economia de Matosinhos, no surf e restauração?

– Qual será o impacto real e efetivo nas marés?

– Qual será o impacto real e efetivo na qualidade da água na praia de Matosinhos?

– Qual será o impacto real e efetivo no valor dos imóveis em Matosinhos?

Assim,

O PSD de Matosinhos, apela à participação de todos intervenientes na defesa da orla costeira a qual não pode ser alvo do ataque ambiental que se vislumbra, com origem na vontade única do PS e que só aos interesses deste partido serve, sendo que o projeto relativo ao prolongamento do quebra-mar de Leixões deve ser redefinido de acordo com o superior interesse público e não só interesse económico.

Bruno M. Pereira
[938138706]
Presidente do PSD Matosinho

©2020 PSD Matosinhos

Política de Privacidade - Avisos Legais

Web Designer - Mario Rocha

CONTACTE-NOS

Envie um pedido de contacto, e será respondido logo que possivel. Obrigado

Sending

Log in with your credentials

Forgot your details?